sábado, 6 de fevereiro de 2016

BÓRGIA - Quadrinhos

Capa da edição italiana.
Clique para ampliar.


Série em quatro volumes soberbamente ilustrados pelo italiano Milo Manara e escrita pelo cineasta Alejandro Jodorowsky, BÓRGIA é uma passeio pela sordidez política medieval da Igreja e das classes dominantes da época. Felizmente isso tudo acabou e nossa sociedade contemporânea não tem mais um clero pervertido que faz sexo com crianças e nem políticos sedentos de poder que mandam prender ou matar seus adversários.

Para quem conhece a história real, dizem que Jodorowsky e Manara tomaram muitas liberdades e basearam-se em muitas crônicas e boatos sem comprovação da época sobre o comportamento dos membros da família Bórgia, mas alguns fatos são reais. Bem, apesar do realismo de Manara e Jodorowsky em demonstrar uma Europa suja, doente, corrupta e violenta ao extremo, Manara não deixou de retratar as européias, que na época deveriam ser muito feias, como uber models no auge de suas carreiras. Não é a toa que ele é considerado o mestre do erotismo italiano e um dos maiores ilustradores de quadrinhos vivos.


Um pouco como nos filmes pornôs, 
quase tudo é desculpa para Manara exibir seu talento com a anatomia feminina.


O  roteiro de Jodorowsky não fica atrás e empolga e diverte tanto quanto choca e repugna o leitor. Uma pena que quando faz filmes, ele se perca em experimentalismos excessivos e esqueça de contar histórias tão boas como as que faz nos quadrinhos.

Nas livrarias e na internet procure pelos volumes:

1. BÓRGIA - SANGUE PARA O PAPA
2. BÓRGIA - O PODER E O INCESTO
3. BÓRGIA - AS CHAMAS DA FOGUEIRA
4. BÓRGIA - TUDO É VAIDADE

Capa de uma das edições nacionais

.

Nenhum comentário: