sexta-feira, 14 de agosto de 2009

BLOG CONVIDADO – ARQUITETO DAS SOMBRAS

Conheço Carlos Ferreira há 20 anos.
Um bom amigo, daqueles que se pode ficar sem falar um ano ou dois e retomar a conversa como se nosso último encontro tivesse sido ontem.
Talvez o Carlos tenha a mesma percepção fugaz do Tempo que eu, sei lá.
Mas o fato é que é sempre bom conversar com o Carlos, pois com ele é sempre divertido falar sobre coisas nerds, filosofices e até sobre o sobrenatural.
O sobrenatural, aliás, é algo sempre muito recorrente no Carlos. Coisas estranhas acontecem o tempo todo com ele. Ou ao redor dele. Algumas exageradas, outra nem tanto. De qualquer forma, acho que se toda a nossa turma fosse composta de magos, o Carlos seria o mais poderoso de todos.
Arquiteto das Sombras é apenas um dos blogs do Carlos (os outros você encontra no perfil do blog dele), mas é onde ele melhor expressa suas idéias sobre arte, cultura e sobre a vida em geral.
Um blog onde ele fala de Quadrinhos, de Cinema, onde se mostra mais do que deveria, onde fala bem e mal do trabalho dos amigos, enfim, onde ele fala o que pensa. Pois o Carlos sempre foi assim. E espero que continue.

Abaixo, uma crônica dele que gostei muito. E o link pro blog.

Ilustração de Rodrigo Rosa.
Clique para ampliar.

A GUERRA

Alguém me perguntou onde está a guerra. Que guerra é essa? Eu posso fazer outra pergunta no lugar...Onde está a paz? Onde está a fraternidade, irmão? Onde está a igualdade?
Desde criança eu fui educado a acreditar no ser humano, na sociedade e seus meios, nos amigos e nos sonhos.
"Perante a Deus somos todos iguais."
Há felicidade espalhada em todas as janelas, cartazes, filmes. Em todas as imagens.
Lixo! Até aqui só vi jogos, mentiras e covardia. Salvo poucos exemplos de coragem, honestidade e inocência.

Essa semana parei para assistir um programa na Discovery Channel sobre a indústria dos games, a evolução dessa indústria e seu casamento com os militares norte-americanos. Sim, sei que não é novidade, mas os milicos norte-americanos estão cada vez mais recrutando bons jogadores de games. Já há uma indústria militar de games, e esses games são cada vez mais realistas e o perigo disso está em um dia o ser humano fuzilar outro humano na emoção mais DOOM da vida. A tecnologia dos games avança para um perfeccionismo de CGs não ao acaso. É para parecer verdade porque um dia o jogador vai jogar com a realidade, mas esse jogador saberá o que é realidade?
Também assisti outro programa, meses atrás, sobre a utilização da biotecnologia nas guerras. O conceito do super-soldado já é uma fato, mas não realidade. Estamos cada vez mais distante do conceito da realidade, talvez nunca soubéssemos bem o que é realidade.

"Realidade é o que você força fazer."

Lembro de um momento do CORTO MALTESE onde uma feiticeira diz para o Corto que a mão dele não tem a linha da vida. Corto pega a faca e corta a palma da mão criando a sua própria linha da vida. Queria eu ter feito a mesma coisa, mas estou preso a essa rede enroscada da realidade. Onde tudo é oculto.
Alguém perguntou onde está a guerra... Mas preciso educar os meus filhos, criar uma redoma protetora em um país que divulga pedófilos a cada 30 minutos no Globo News, pais atiram crianças pelas janelas, a polícia confronta outro destacamento de polícia com armas de guerra. Avião explode com 176 pessoas...

Onde está a guerra?
Vai tudo pelos ares por que o ser humano é merda!
Hoje eu faço parte de uma geração que podia ter feito a diferença, mas não fez. Postergou todos os projetos, acumulou tudo em projetos inacabados, desperdiçou tempo com a vagabundice, desperdiçou o meu tempo. Sempre acreditei que podíamos ter feito a diferença, acreditei na Liga. Ainda acredito na parceria. Em um grupo consciente fazendo a mudança.

Vivo a época dos cínicos, e sou mais um desses. Mas hipócrita não, amigo. Mantenho as mesmas idéias e ideais há mais de 17 anos. Há 38 anos. Nunca me vendi para nenhum laboratório de desenho. Pagando ou não minhas contas eu ainda estou aqui expressando as minhas idéias e emprestando essas, esboçando essas idéias para ti, produzindo-as em eterno conflito contra essa guerra que poucos querem ver.

Ser humano é lixo e eu não varro para baixo do tapete. No fundo sou romântico e luto por uma mudança ou no mínimo um pouco lucidez. Aos que possam (ou sabem ) pensar e dizer: lucidez de quem? Tá falando de quem? Da tua falta de lucidez?

Sim, bebum, sim...
Afinal, que guerra é essa?


ARQUITETO DAS SOMBRAS

Um comentário:

Amelie Heringer disse...

Se eu definisse o texto como excelente seria pouco, seria muito pouco.
Talvez genial, seja a palavra correta a ser empregada.
Amei o blog, padrinho.
Tinha que ser amigo seu mesmo.

beijos, Amie

ps: ontem o blog da sua afilhada fez um ano, me deseja parabéns?