domingo, 29 de março de 2015

KARL KRAUS - Frases



Karl Kraus (1874 - 1936) foi um dramaturgo, ensaísta, aforista e poeta austríaco.

Foi também - e sobretudo - satirista e panfletário. Denunciava com grande virulência nas páginas do Die Fackel (A Tocha) - revista que fundou e da qual foi praticamente o único redator durante quase quarenta anos - os compromissos, as injustiças e a corrupção, notadamente a corrupção da língua, na qual via a fonte dos maiores males de sua época, responsabilizando principalmente a imprensa. É considerado como um dos maiores escritores satíricos em língua alemã do século XX.

Karl Kraus foi objeto de grande controvérsia durante toda a sua vida. Tal se deve à indubitável consciência da sua própria importância. Esta imagem não era de todo infundada: aqueles que o observavam ficavam fascinados com a sua personalidade. Viam nele uma espécie de autoridade infalível e alguém que faria também qualquer coisa para retribuir ou ajudar aqueles que o apoiavam. Não obstante, fez também numerosos inimigos, devido ao seu caráter inflexível.*


"Não há dúvida, o cão é fiel. E por isso devemos tomá-lo como exemplo? No fundo, é fiel ao homem, não ao cão."

“Quando os políticos dizem ‘ESTAMOS NEGOCIANDO”, estão negociando mesmo!”

“Não ter pensamentos e ser capaz de expressá-los — eis um jornalista.”

“A relação dos jornais com a vida é mais ou menos a mesma da que as cartomantes têm com a metafísica.”

"A diplomacia é uma partida de xadrez em que os povos levam xeque-mate."

“O segredo do demagogo é o de fazer-se de tão estúpido quanto os que o ouvem para que estes pensem que são tão inteligentes quanto ele é.”

*Fonte: Wikipédia


Nenhum comentário: