sábado, 25 de outubro de 2008

DA MINHA INCAPACIDADE

Arte de Kevin Nowlan

Esse texto foi escrito para a cadeira de Produção Textual quando eu cursei Letras na UFRGS. O tema proposto era sobre um "momento de descoberta que tenha levado algum tempo para se dar conta". Um tema meio cabeludo e um tanto vago e... bem, acabei escrevendo esse texto. Não sei se elé é um texto bacana, mas pelo menos acho que está bem escrito o suficiente para não ser chato. E tem post novo lá no blog da Capricho.

DA MINHA INCAPACIDADE

Quando soube do tema dessa dissertação, achei ok, embora de imediato não conseguisse relembrar de nenhum fato relevante que tenha levado semanas, meses ou anos para compreendê-lo. Ao aproximar-se o prazo de entrega, tentei buscar em meus arquivos mentais, algo que valesse a pena como uma demonstração de amadurecimento ou reconhecimento de minha parte e que meus colegas ouvintes e/ou leitores percebessem isso.

Mas à medida que avançava pelas gavetas ia encontrando somente fatos intímos ou escabrosos demais para contar em uma aula de produção textual. E ainda no primeiro semestre, onde todos mal se conhecem. Se alguns já ficaram nervosos apenas apresentando-se, o que poderia acontecer com essas pessoas tendo que expôr-se mais ainda? É claro que eles e mesmo os que não ficaram nervosos, não o farão. Posso estar enganado, como estou a maior parte do tempo, mas creio que 90% dos meus colegas contarão fatos inofensivos para não se expôrem. É claro, isso não é uma cadeira da psicologia, mas eu tenho essa tendência de crer que se você vai escrever sobre sua vida ou a dos outros e não vai fazer piadinhas sobre isso, você deve tentar um certo aprofundamento.

Conversando com uma colega e mais tarde com outros, percebi que todos, assim como eu, estavam meio confusos sobre o que contar ou mesmo se deveriam contar. Pensei em contar sobre a separação de meus pais que ocorreu quando eu tinha dezessete anos, mas na época eu já achava que isso havia acontecido tarde. Pensei em falar de como percebi que o ciúme pelo meus irmãos havia ocasionado minha bronquite, mas quando isso aconteceu eu era tão pequeno que não saberia nem dizer se eu estava vivo ou morto e tendo sido um processo inconsciente, não serviria para o exercício proposto em aula. Pensei também em outras coisas banais demais para serem citadas e pensei mesmo em criar um falso texto sobre como só compreendi que era diferente dos demais seres humanos quando recebi uma mensagem de meus verdadeiros pais extraterrenos. Mas achei que isso não colaria, por isso decidi escrever sobre a tardia compreensão de que seria incapaz de contar algo psicológicamente relevante como realmente gostaria para a classe do modo como faço com outras pessoas.

Talvez um outro dia...

16 comentários:

Anônimo disse...

nossa adorei!!!kem me dera ter metade do seu talendo e criatividade...Até animei de novo a fazer facul de jornalismo

bjs

ass:Taicy

;) disse...

São nesses momentos que se provam quem realmente tem o dom de escrever.
Mesmo diante de um tema vago e dificil, você escreveu bem e sem fugir do tal tema.

Agora quanto as pessoas terem 'medo, receio, vergonha' de se expor diante de pessoas que mal se conhecem, é normal. E até compreensível, aquela tal da primeira impressão, que as vezes dura mais do que o 'primeiro encontro', é a que fica!

Beeijo
;**

Marcella *-* disse...

Excelente o seu texto!
E sua coluna nessa ultima Capricho com o Zac na capa tá incrivel!

Comente meu ultimo post por favor:
www.cabelocorderosa.blogspot.com

' Sofih! disse...

Não achei o texto chato. É muito interessante o tema abordado! Muito legal mesmo!
Bjoo

Kamilla disse...

Gostei de seu texto! Vc teve uma atitude bem sagaz para concluir o texto de forma a nã sair do tema proposta! Brilhante!

Gessica Santiago disse...

Chato ? Acredito que não!
Homem, você escreve divinamente !
Acredita que a proposta do texto está me fazendo pensar ?

Adoro textos assim!


Beijos

▀█ Camila Siqueira ♣ disse...

Pois é jerri!
As vezes quando eu escolho um tema pra escrever e fico pensando sempre descubro que quase nada sei!
Ninguém uqer falar de nada de uma forma muito intima!

Layana. disse...

Boa escapatória.
Belos argumentos, garanto que a sala toda entendeu a sua "incapacidade". IUAUDAISDUHASIUDA. Adorei.
Beijos.

Mundo Cólica disse...

Chato não foi e ainda conseguiu ser MUITO útil,esclareceu e acho q até 'amadureceu' o lado que as pessoas sempre reservam para chamarem de 'incapaz'

Nah.

Kitty disse...

Gostei do texto...bons argumentos, aliás! HAHAH
Vi o myspace que tu me mandaste por comentário...não achei nada de mais no blog da página, só tem um post..
Mas gostei bastante das influências dele e do som. É algo realmente diferente...e o teclado casou com o resto, curti bastante.
A pena é não ter conseguido fazer download (odeeio quando fazem isso).
Mas depois vou dar uma olhada com calma e te digo melhor o que achei, ok?
Beijo!

Psicodellicuss Girl disse...

Simplismente perfeito...
Aprendi que a pessoa só pode realmente escrever sobre aquele que ela entende ou vinvencia.
Bjus!

Line disse...

Jeeeerrrri, tem o dom pra escrever neh?!

beijão =)

Kitty disse...

Ah, correção a mim mesma, na pressa eu perco a noção: não é teclado, é piano, rs
HAHAH
:P
Abafa o caso.

Biih disse...

Tipo,eu vi o seus comentários e pirei,shaushus.Tipo,"Jerri Dias coomentou no MEU blog!",que looucura.shaushaush...
Voltando ao mundo real..Achei que o seu texto fiicou muito bom,realmente você conseguiu se sair super bem num tema difícil,nós mesmos...Eu vou tentar vir sempre aqui,mas eu sempre vou ter mais facilidade pra ler o seu blog no site da Ch,eu entro naquele site todo dia,eh tipo viciante,e apesar de agora eu saber que vc escreve suuper bem textos sem seer comédia,Jerri Dias sempre será O cara que consegue me fazer rir em dias de pura TPM e Deprê..HSUAHSUHAUSHAUS.

Mayara Gabriela ♪ disse...

são nessas horas que me dá tanta vontade de ser jornalista, escritora, coisa e tal... queria escrever e escrever, tão bem assim... ^_^

Anônimo disse...

Nossa..adorei seu texto.
Nada chato, pelo contrario,em minha opinião foi bem interessante de ser lido. Além do mais mostra que às vezes o problema se torna solução.
Parabéns...

Quero fazer jornalismo e adoro escrever cronicas...Estou para montar um blog com meus textos.
Se puder me de umas dicas: danyelaram@gmail.com