quinta-feira, 16 de julho de 2009

A BÁRBARIE DA FALTA DE EDUCAÇÃO - Ensaio

Estou quase desistindo de ir no cinema...


Esse texto pode soar meio moralista e careta para alguns, mas já faz tempo que queria falar sobre o principal motivo, de porque eu, que no auge de minha devoção pela tela grande via cinco filmes por semana e que assisti centenas de filmes duas, quatro, seis vezes no cinema (se Spielberg está na lista da Forbes, isso se deve graças ao meu dinheirinho), hoje, só vou ao cinema uma vez por mês.

Mas gostaria de dar um exemplo extremo antes de continuar.
Abaixo, uma notícia que peguei do excelente site Omelete.

Homem atira em outro que conversava no cinema

Por Érico Borgo


Disparo aconteceu durante sessão de O Curioso Caso de Benjamin Button


28/12/2008


Em um cinema na Filadélfia no dia de Natal, durante uma exibição de O Curioso Caso de Benjamin Button, um homem levou um tiro no braço por conversar durante o filme.

James Joseph Cialella Jr, de 29 anos, foi ao famigerado Riverview Theatre, considerado um dos cinemas mais "barra pesada" dos Estados Unidos, onde tentava assistir ao filme quando uma família começou a conversar durante a projeção. Cialella pediu que parassem. Sem sucesso, jogou pipoca neles. Foi só quando ele puxou sua Kel-Tec calibre .38 e alvejou o pai no braço esquerdo que teve sossego.

Com o disparo, o cinema ficou vazio em segundos. O atirador, porém, voltou ao seu lugar e sentou-se, para terminar de ver o filme. Mas não ficou muito tempo... a polícia logo chegou e o prendeu.


Cialella, que não sabe como termina Benjamin Button, está sendo acusado de tentativa de homicídio, entre outros crimes. A vítima está hospitalizada mas passa bem.


O Curioso Caso de Benjamin Button estréia em 16 de janeiro no Brasil - e cuidado com a falação no cinema... nunca se sabe quem pode estar atrás de você.


.................................

Bom, temos aí um caso de falta de respeito “normal” que levou a uma total falta de respeito pela vida humana. E não é a primeira nem a última vez que isso acontece. Mas geralmente é assim que acontece a maioria dos casos de violência gratuita na nossa sociedade: alguém faz uma piadinha, um deboche, desrespeita pessoas que não conhece porque se acha “mais eu”, não se importa em perturbar os outros e quando você vê, está assistindo na TV, sem acreditar, que gente matou e morreu por causa de um discussão no trânsito, na escola, na balada e até no cinema.


Quando eu vou no cinema, eu evito fazer barulho com meus docinhos e abro as embalagens antes do filme começar pra não fazer barulho; eu desligo o meu celular e não deixo nem no silencioso porque eu quero prestar atenção de verdade no filme sem ser importunado; se quero comentar algo com minha esposa ou amigo, chego mais perto e sussurro a minha observação, sem estender o papo; e eu até levo o meu lixo pra lixeira quando acaba a sessão. E em casa eu faço quase tudo isso, mas na sua casa cada um faz o que quiser.


E porque eu sigo todas essas regras? Porque eu tive o trabalho de sair de casa, comprar um doce pra comer e pagar pra ver (e escutar) um filme. Por isso, eu fico bem quietinho na minha cadeira, presumindo que as outras pessoas também tiveram o trabalho de sair de casa, comprar suas guloseimas e pagaram pra assistir o filme e que querem realmente vê-lo.


Infelizmente muitas pessoas que vão ao cinema não pensam assim. Bom, eu sempre soube que a maioria das pessoas só vai ao cinema pra se distrair e passar o tempo e não estou cobrando delas que saibam apreciar uma boa direção, interpretação ou direção de arte. Mas educação e respeito com os desconhecidos é uma das poucas características que diferencia uma civilização das antigas tribos bárbaras, onde só se respeitava o grito mais alto, o braço ou a espada mais forte.


Se as atitudes bárbaras que citei são familiares é porque muita gente acredita que boa-educação ou respeito aos outros não é para eles e quando vão ao cinema, conversam ou conferem bobagens no celular; falam com as pessoas ao redor como se estivessem vendo novela em casa; levam lanche fedorento do MacDonald’s pra comer no cinema e até curtem ficar chutando a cadeira da frente como se isso não incomodasse o vizinho da frente.




E se você acha que estou falando de adolescentes, se engana. É claro que os adolescentes costumam fazer mais barulho e bagunça no cinema do que os outros, mas já me incomodei com todas as faixas etárias possíveis no cinema e chega a ser vergonhoso pra alguém da minha idade ter que berrar num cinema com menos de 30 pessoas pra um velho de 60 anos parar de conversar na porcaria do celular. Claro que eu totalmente perdôo se vou num desenho animado e tem crianças pequenas berrando e fazendo comentários. Elas ainda estão aprendendo e eu sei onde estou me metendo. Ou num filme feito exclusivamente feito para adolescentes berrarem, gritarem ou chorarem histéricas. Mas o ruim é entrar num filme para adultos e não saber se lá dentro vai ter um bando de gente retardada ou não.


Sim, eu faço parte daquela minoria de gente “chata” (e eu já era chato quando adolescente) que diz “SSHHH!” e que pede pras pessoas ficarem quietas no cinema e volta e meia tem que chamar os despreparados funcionários do cinema pra ver se eles conseguem fazer as pessoas calarem a boca e respeitarem os outros.


Até meados dos anos 80 existia a figura do “Lanterninha”, que além de ajudar as pessoas a encontram seus lugares com a ajuda de uma lanterna, apontava ela no rosto de pessoas que estavam incomodado a sessão e em casos extremos, mandava elas embora do cinema. Hoje em dia, apesar dos cinemas de shoppings terem diversos funcionários, eles estão pouco ligando pro jardim de infância que se tornaram algumas sessões de cinema. Estou pensando em fazer um abaixo assinado pela volta das lanterninhas. Talvez armados com tasers... Ah, não seria o máximo ver um chato de cinema estrebuchando na cadeira depois de ter levado um choque?!


Esses tempos um amigo me contou que fez “SSSHH!” pra alguém no cinema e o cara que estava na frente com a namorada perguntou se era com ele e meu amigo respondeu que se ele estava falando alto, era com ele também e o cara respondeu que ia pegar ele na saída. Por sorte o cara só queria se exibir pra namorada, mas se estivesse falando sério, esse seria mais um episódio de desrespeito que acabaria em violência estúpida e gratuita.


Seria ingenuidade e burrice minha dizer que a falta de educação é um problema moderno, ela sempre existiu e sempre existirá, mas se ela aumenta a ponto de pessoas brigarem ou atirarem umas nas outras dentro do cinema, na balada e na escola, lugares onde as pessoas vão para se divertir e se educar, a culpa é de todos nós: velhos, adultos e adolescentes, que queremos que os outros nos respeitem mas não fazemos a menor questão de respeitar os outros.


E para não dar uma de defensor infálivel da moral e dos bons costumes, é claro que já fui mandado ficar quieto em algumas sessões na minha adolescência, mas eu sempre entendia que era eu que estava errado e ficava quieto.


Não seja mais um(a) mané na sociedade. Respeite os outros para ser respeitado.


Paz!




No final diz:
NÃO SEJA UMA INCOMODAÇÃO GALÁCTICA
Desligue seu celular.
Evite comer e beber.
Não converse durante a sessão.

19 comentários:

Natália disse...

Minha mamãe falou que se eu for no cinema, vou ser metralhada, então é melhor eu esperar o tal filme virar dvd pra eu poder locar/comprar e assistir tranquilamente em casa e abafada, ainda mais agora no inverno. haha² beijos

Sofih disse...

Uma vez uma galera atrás de mim não parava de entrar e sair do cinema, fazer comentários estúpidos, etc. Eu só virei e mandei ficarem quietos... Agora não sei se o melhor é pedir isso, com medo de levar uma cacetada na cabeça...
Se todos cooperassem, teríamos seções tranquilas e felizes, mas parece que existe uma legião dos sem educação contra a seção de cinema perfeita.
É, meu pai já me contou dos lanterninhas. Ia ser mais eficaz se ele tivesse uma arma na cintura... x_x
Beijos

Malú disse...

não me lembro de haver tanto barulho e bagunça no cinema uns anos atrás. não sei se eu era pequena e não percebia, mas hoje acho que o respeito pelo silêncio e o respeito aos outros diminuiu bastante no escurinho.
mas eu adoooro falar SHIIIIIIIIIIU. hahaha
só que tambem adoro entender o filme, que é o que se espera depois de pagar um absurdo pela entrada.

nick disse...

Entre todas estas situações, passei por algo muito constrangedor. Um casal de idosos estavam sentados a minha frente, bem quietinhos por sinal. Eis que um barulho acorre ali, devido a problemas no estomago eu imagino, mesmo assim desta vez nao foi meu ouvido mas sim o meu nariz que saiu prejudicado. Enfim eu e minha amiga mudamos de lugar !

Fraan ;) disse...

Jerri, eu sempre tive esse respeito no cinema, desde criança. Mas tenho que adimitir que, já estou preparada para berrar na estréia de Lua Nova (sim, sou fan do vampirinho). Pelo menos, esse é um filme em que quase todos vão gritar!
Bj ;D

Maria Augusta disse...

seriamente, as pessoas nao tem mais nossao de como se comportarem em um local público ou com pessoas ao seu redor, nao entendo como tem gente que tem a falta de vergonha de ser corigida por outro cidadao e ainda responder, fazer cara feia, chingar e continuar com o mesmo abto indecente, asho totalmente certo fazer um abaixo assinado para a volta dos lanterninhas, pq vc nao começa jerri ?, vc eh tao conhecido asho q vale a pena e, q vai dar certo essa iniciativa, fora q estaremos dando emprego pra augumas pessoas desocupadas. asho q esse conportamento selvagen de sertas pessoas deveria ser melhor estudado e levado a cerio pelas autoridades e pelos propios pais deses infelizes q fazem bagunça e atrapalham a vida alheia, por culpa desse tipo de gente minha mae me proibio de ir assintir era do gelo 3 no cinema, se eu contar pra ela sobre oq aconteceu na cessao (eh assim q se escreve cessao?)de cinema, onde levaram um tiro ai q ela vai me fazer esperar o filme sair em dvd...

Maarii (: disse...

Isso é verdade,texto perfeito,isso é uma tremenda falta de respeito,e també faço parte do gurpo de "chatos que fazem SHIII" quando ficam irritando! Adorei o blog,virei sua seguidora!
beijos!

O.B.S :
"cessao" é com S e til no A! = Sessão!
lol!

♥ Mαrcellα L. disse...

Ultimamente ir a padaria comprar pão se tornou perigoso. Sei que não tem nada haver, mas dia desses, quando minha mãe voltou do trabalho de onibus, teve de vir do ponto até em casa a pé, um motoqueiro parou ela e pediu que ela entregasse a bolsa (uma Dolce Gabbana dourada, que não é falsificada...) ela saiu correndo e gritando, o homem não a seguiu, o que nos faz pensar que era brincadeira, enfim.... o Brasil é um lugar periogoso, assim como todo o mundo.

Beijos, otimo post, e tem novo no meu.

LADY DARK ANGEL disse...

oie valeu por passar no meu blog
apesar de sua resposta ter sido meio técnica valeu assim mesmo

- aari disse...

Cooncordo plenamente, uma tremenda falta de educação da pessoas no cinema , ja vi ate tirarem fto com flash ¬¬

ja qe todo mundo pago igual, todos deveriam ver o filme em santaa PAZ.

Bjos

GaB. disse...

Tudo bem tudo bem. Concordo contigo. Nada justifica minha atitude..e eu poderia ter ficado quieta mesmo. Maaaas eu tinha tido um dia muito estressante, no qual tive que baixar minhas orelhas e nada dizer em momentos que fiquei com muita raiva..além do mais sou humana e nem sempre preciso aguentar essas coisas. Mas como eu disse no meu post, nao sou sempre assim..foi um só momento que eu explodi. Sim, fui mal educada, nao precisava ter descido ao nível dela, mas nao me arrependo. O que me consola é que eu sei que tenho educação e são raríssimos esses acontecimentos. Mas tudo bem, sermão aceito.
Pelo menos não atirei em ninguém no onibus né?
Beijo. e sim, paz.

GaB. disse...

Ah! Esqueci de colocar no outro comentário. Jerri, eu sei que podem tanto ter pessoas ruins na favela quanto na minha casa, ou em qualquer outro lugar.
E é obvio que eu sei que riqueza e pobreza nada tem a ver com isso.
Quero deixar claro que não sou preconceituosa. :/ Pelo contrário, alguns de meus melhores amigos moram em favelas e são pessoas muito boas. E eu estava dizendo mais da favela que tem pertinho da minha casa, nao estava generalizando..
mas sei lá. acho que não preciso ficar justificando todo meu post né. cada um tem seu ponto de vista, mas para tu nao achar que eu sou preconceituosa ou sei la, resolvi esclarecer. (:
Beijos.

Tamires Oak disse...

Oiê, otimo texto, fui ao cinema a uns dias atras e por enquanto ainda não tive nenhum prolblema não (ainda). Obrigada pelo coment, foi muito legal. Mas acho q algumas coisas eu não tenha deixado transpassar, como: eu adoro a adolescencia, talvez tenha parecido q não, mas acho q quero ficar nesta fase p/ sempre, mas claro, há as mudanças que fazem parte da vida de todo mundo, mas acho q eu mudo mais que do que o normal, sou uma constante mutação. Mas valeu mesmo pelas dicas, se aquele dia eu estava ruim acho q hoje estou melhor, mas é assim mesmo, eu mudo muito rápido e as vezes sou tachada de doida e confusa.
Sempre q puder vou passar no seu blog. Já está na minha lista dos lidos.
Se puder depois passa email, orkut,msn, etc...
Vlw!!!!!!!!

GO. disse...

Isso sem falar quando você é vítima de roubop ou dos famosos "arrastões" dentro do cinema... Acho que nem Deus mais sabe onde esse mundo vai parar...
Bjs Jerri, passa lá no meu blog depois! :*

Mαrih ♪ disse...

Jerri, acho muito interessante quando você abora assuntos assim, já que pelo menos seu blog é muito mais lido e aceitado do que outros blogs normais. Não digo que é necessário fazer shhhhhhh em todas as sessões, mas concordo que é um saco entrar em salas de cinema com o receio de haver uma turma de retardados, e ainda mais, ter que pensar bastante antes de pedir silêncio.
Essa notícia que você publicou do homem que atirou no braço de outro pelo barulho me assustou. Não basta termos que olhar para os dois lados ao andar na rua, ainda temos que ficar imaginando se cutucar o cara da frente para ficar quieto pode ser sentença de morte.
Texto ótimo.
Ah, outro dia até sonhei que você tinha comentado no meu blog. Isso deve ser obssessão. Cansei de pedir pra você passar lá e também lembro que uma vez você disse que fazia questão de responder todos os comentários, e geralmente passava o dia respondendo comentários de até 4 meses atrás.
Sou paciente, e vou continuar sonhando com o dia em que você passará no meu blog.
Beijos e amei a postagem :**

Mylla disse...

obrigada por ter ido no meu blog! eu ja te passei um email sobre o jornalismo!
eu odeio as pessoas que conversam no cinema, se é pra conversar que seja em outro lugar!caramba! o maximo que eu ja fiz foi jogar meu pacote de pipoca num menino que falava ao telefone e todo mundo e agradeçeu por isso! E olha como a vida é engraçada, acabei ficando com esse mesmo menino um tempo depois...
bj jerri

KINHA disse...

Estou aqui para fazer-lhe uma proposta, que eu considero interessante.Também sou TOP 100 e estou concorrendo na categoria "VARIEDADES" e estou na campanha "UM VOTO POR UM VOTO".O legal disso tudo é essa interação,eu conheço seu blog e vc, o meu.Já votei no seu e sei que também que receberei seu voto.
Estou te seguindo e se quiseres me seguir, ficarei honrada.Dia 19/07 o blog AMIGA DA MODA estará estará comemorando sua 100º postagem.Venha apanhar um brinde, com assinatura de um design.Sua presença é muito importante para nós.
Obrigada

Annah. disse...

meu pai nao vai me deixar ir assitir harry potther.
porque com essa loucura de gripe suina e tal aqui no brasil
ele nao quer deixar que eu fique eu uma sala fechada por mais ou menos 2 horas, cheia de gente desconhecida.
bom, ele ate tem razao.
e eu fiquei chocada em uma pessoa levar um tiro no cinema
esse é o problema de lugares publicos.
voce nunca sabe que tipo de pessoa vai la ne?

se tiver tempo passa no meu blog?
beijos,

Sophie disse...

Totalmente apoiado, Jerri! Respeito nunca é demais. Desrespeito, ao contrário, já passou da cota faz muito tempo...