terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

L. I. V. R. O. – Millôr Fernandes

Minha estante principal de livros. Dentro tem algumas centenas de gibis e revistas...


Este é um texto que transcrevo direto da coluna do genial Millôr, das páginas da VEJA (9 de abril de 2008). Tentei achar na internet, mas só encontrei versões adulteradas. A coluna não está toda transcrita, copiei, sem cortes ou adições, apenas o trecho onde ele fala sobre o L.I.V.R.O.

Eis o trecho da coluna PRÉ – E – PÓS MARAVILHAS.

“(...)

Defendendo passado-vivo no presente, já publiquei aqui uma análise do precursor do Computador, o Livro, que muitos julgam extinto:

L.I.V.R.O. Local de Informações Variadas Reutilizáveis e Ordenadas. É um insuperável conceito de tecnologia de informação.

L.I.V.R.O. não tem fios nem baterias. Não é conectado a nada facílimo de usar – qualquer criança pode operá-lo. Basta abri-lo.

É formado por seqüência de páginas numeradas, como milhares ou milhões de informações. As páginas são unidas por um sistema de lombadas, que as mantém automaticamente em seqüência correta.

Dados inseridos nas duas faces da folha duplicam a aquantidade de dados e reduzem custos. Um simples movimento de dedo permite o acesso instantâneo a próxima página. Nunca apresenta “erro geral de digitação” nem precisa ser “reinicializado”. E a informação fica no local em que você a deixou mesmo com o L.I.V.R.O. fechado. A compatibilidade dos marcadores de página é total, permitindo que funcionem em qualquer modelo sem necessidade de configuração.

Inseparável do L.I.V.R.O. está o mais simples e prático computador que conheço – o L.A.P.I.S. Numa ponta o Processador de Texto. Enquanto o computador moderno nos permite escolher apenas entre 234 fontes, o L.A.P.I.S. oferece fontes infinitas, pois cada pessoa tem uma fonte, chamada “caligrafia” pessoal.

E pra tornar a letra negrita, basta a pessoa aumentar a pressão. Tudo muito sensual. Sensualidade inteiramente ausente no Computador atual.

No outro extremo do L.A.P.I.S. você tem o Deletador, chamado borracha, como o qual apaga facilmente qualquer erro cometido.

Em tempo e importantíssimo: tanto o L.I.V.R.O quanto o L.A.P.I.S. não enguiçam!

(...)”

E junto com o vídeo sobre revolução digital, já dá o que pensar....

Post novo no blog da Capricho.

E o Jizz In My Pants está de volta aqui no blog! Dois posts abaixo. Mas por algum motivo idiota, o You Tube tirou do ar somente as versões legendadas. Agora, só para quem manja inglês...

20 comentários:

Bruna Bianconi disse...

eu adoro ler as colunas do Millôr, essa eu não tinha lido ainda, obg por compartilhar :)

Anaa Bia ;) disse...

Eu gosto muito do Millôr Fernandes, nunca li nada dele de que eu não tenha gostado !
E, realmente, não sei qual é o problema das pessoas com o livro. Hoje em dia quem lê é discriminado pelos "amigos". O mundo tá perdido !

J. F.r.a.n.c.o! disse...

Ah, essa eu ainda não tinha lido. O meu pai ainda não assinava a VEJA.

O LIVRO realmente é muito útil, não vivo sem os meus (Provavelmente, daqui um ou dois anos a minha estante fica assim!).

Mas um computador tem vantagens sobre o LAPIS e a BORRACHA, tipo, ele é muito mais rápido e é necessário cerca de 10 horas (pelo menos para mim) para a mão ficar doendo, e com o LAPIS, duas ou três você já não aguenta mais escrever e não conseguiu escrever nem 1/3 do que teria digitado no mesmo periodo de tempo.

ps: popularidade não serve pra nada, pelo menos pra mim. Você realmente tem sorte de ter se livrado dessa nóia toda.


Beijos!

Juh disse...

Para mim nada melhor que a companhia de um bom livro.
Adoro ler e me sinto super feliz por encontrar pessoas que compartilham com a mesma opinião que eu,que livro supre a fome de conhecimento que temos.Não que computador não seja útil,mas nada melhor que abrir um livro e vivenciar a emoção em cada página,que o autor teve tanto cuidado ao escolher cada palava utilizada.
Troco qualquer coisa por um bom livro.Infelizmente esse hábito há muito foi esquecido com o surgimento da internet.
Mas quem eu posso incentivo e recomendo livros que mudaram o modo como via muitas coias.É uma fonte de crescimento sem igual.

Beijos Jerry

' Sofih disse...

Eh, as vezes um L.I.V.R.O é um milhão de vezes mais versátil do que um PC! =D
Bjos

Mion disse...

Se não fosse os livros não existiria computadores. Fato.
Sou completamente viciada em ler.

Aprendiz de escritora. ;) disse...

nossa, ameeeeei amei!
Confesso que hoje em dia utilizo mais e-books do que livros, porque são mais baratos. Mas assim que as aulas começarem, vou fazer um passeio pela biblioteca e sentir aquele cheirinho bom de poeira, haha ;D

Daniela disse...

Olá!
Este trecho de Clarice que você comenta em meu blog é de um livro composto por 13 crônicas chamado A Legião Estrangeira (1999, 293-295).

Obrigada pela visita!

Daniela

Lunnie disse...

Oi Jerrii!
Eu sempre racho com seus textos, UHSAUSHAUSHA! Vc eh mto engraçado!

Abs!

http://ember.love.zip.net

• Docereja disse...

Muito Bom jerri :D
ahsuhaus , sai no seu blog /nos micos ;*
bjos !

henrique teixeira disse...

to montando minhas estante tambem... com acervos de livros de arte. Vai ser varios blocos brancos onde posso formar o qeu eu queiser. Postarei tambem. E te mostrarei...
Sua estante é linda!!!!!!!!!!

xxx henrique teixiera

Nady♥ disse...

E é verdade, a companhia de um livro é muito boa! Se eu digo que quero ler um livro todos dizem: 'A, baixa lá pelo site tal', mas a verdade é que não é a mesma coisa que ter o livro em mãos, em mãos tu pode levar à qualquer lugar, e abrir em qualquer hora. É bem melhor comprar um livro do que baixar um livro. E quando se escreve um livro, tu se envolve BEM mais à mão do que no próprio computador, e ainda aqui no PC é capaz de perder toda a história por um simples pane....Muito bom o post!

Camila Plauth disse...

eu adoro ler as colunas do Millôr, essa eu não tinha lido ainda, obg por compartilhar :) [2]

Marcella ♥ disse...

Gosto de ler um bom livro, de escrever um bonito texto. Mas, para fazer pesquisa sou adepta do PC.
Post novo no meu blog.

Ana Lu disse...

Ah, n vivo sem os meus livros
;D

Psicodellicuss Girl disse...

Jerri me empresta uns livros?
Adorei sua estante, a minha só está iniciando!

Adoro as colunas do Millôr e também sou super fã da Lya Luft.
Beijos!

Biih Homrich disse...

Nossa,eu nunca tinha lido nada desse escriitor,mas confesso que concordo plenamente com ele.Aaah Jerri,me dá a sua estante? A minha ainda é pequeniiininha,mas vai crescer *---*

Marih disse...

O millor fernandes eh o máximo...
Eu amo ler as colunas dele, e suas crônicas são GENIAIS.
Parabéns, Jerri, por trazer outro texto tão bom para nós!!
;*

Silvya disse...

Jerri e seus grandes achadoos ;D
Puxa, obrigadaao mesmo por postar isso, adorei!
Eu penso mais ou menos assim, penso que as pessoas devem saber separar o livro, do computador pois dá para associá-los tranquilamente :D
Nada melhor do que ler um livro naquele friozinho, debaixo da coberta, tomando um chocolatinho quente; mas nao podemos esquecer de como é bom ter o mundo inteiro nas maos.


:*

Silvya disse...

Jerri e seus grandes achadoos ;D
Puxa, obrigadaao mesmo por postar isso, adorei!
Eu penso mais ou menos assim, penso que as pessoas devem saber separar o livro, do computador pois dá para associá-los tranquilamente :D
Nada melhor do que ler um livro naquele friozinho, debaixo da coberta, tomando um chocolatinho quente; mas nao podemos esquecer de como é bom ter o mundo inteiro nas maos.


:*